terça-feira, 27 de abril de 2010

Corações de pedra e gelo...


Incrivelmente monótonos,

nada quebra a indiferença.

Construções majestosas e rochedos se desmoronando
distantes à meia luz.

Uma onda enorme e crescente domina o céu,
As águas de março, lavam abril.

Os pequenos miséraveis,
Confiam em seus votos.

Onde está o planeta com superfície definida?
Poderosos displicentes e fracos em sabedoria.

Resta-me uma grande frustração diante da inteligência

Que fazer com o progresso?

Corteses são os olhos da pláteia global,
cravam a bandeira nos túmulos e calam inocentes

Um close-up nos governantes
que lamentam e fecham os olhos.

Quando voltar para casa?
Sem lar, sei lá onde será.

Olhares perdidos, palavras sem efeito.

Sorrisos tolerantes de feições duras,
limpam um mundo vasto e assustador.

Soldados com as mãos defendem a dignidade.
procuram vidas, feridas.

Verdadeiros heróis!

O tempo pesa com a terra molhada

Hipócritas propõem brinde à democracia,
ignoram o roubo e a canalhice.

Bolas!
Jogar bola paga milhões!

Enquanto o cidadão usa botas de borracha para catar migalhas

OS SENHORES DO PODER, brincam com milhões.
Um mundo gigante de beleza frágil,
está sendo devorado por governantes piratas.

Florestas só em conto de fadas!
Crianças, os lobos estão soltos!

Há ratos nos esgotos
drenando vidas.

Luzes de emergência acendem, alarmes tocam,
uma desaceleração no coração da amazônia

Sem liberdade a terra para a natureza,
briga e grita!

Nossas normas foram violadas!

Pessoas ofegantes, se afogam em lama

As máscaras caem e o carnaval começa...

Cadê o dia seguinte?

A terra está sofrendo.

Meu coração sangra e chora,
diante de tanta dor.

Será possível ladrilhar os rios?
Sugere um político qualquer.

Dizem que é culpa do diabo, que veste colarinho branco
Banalizaram a vida humana, para chegar no espaço.

A lei agora é essa: quem tem dinheiro
tem dignidade

Malditos dedos humanos!
Escória humana toma banho de champagne e MATA CRIANÇAS.

Vá se ferrar!
Você que faz de conta que faz alguma coisa!

A expressão "Vai se ferrar" resigna "vai se auto-ajustar" no sentido de que seria tão difícil como se é com o ferro, por isso o "ferrar".

Dando a idéia de que a pessoa vai ter tanto trabalho de se auto-ajustar quanto teria com ferro.

Minha fé diz:

Um dia vocês vão responder em um tribunal soberano.
Mas antes serão soterrados pela ganância.

APLAUSOS!!!!
AOS GOVERNANTES DA NOSSA AMADA PÁTRIA ESTUPRADA.


AUTORIA

CARLA FABIANE

2 comentários:

Sandra Rossi disse...

Olá!!

Gostei demais dos seus poemas, parabéns!
Estou te seguindo aqui tb, hehe, e já te adicionei na minha lista de favoritos!

BJuS!!

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Após ler seu texto atentamente nada mais posso acrescentar!

Verdadeiro manifesto!!

Todos nós choramos e lamentamos o presente de nosso planeta!

Um beijo!

Sonia Regina.