terça-feira, 19 de janeiro de 2010

A CHUVA E A ROSA...

A CHUVA LÁ FORA

AS HORAS NO RELÓGIO EMPOEIRADO
ESPERAM POR VOCÊ

NESTA NOITE FRIA
MEU PEITO AQUECE MEU CORAÇÃO VAZIO

IMAGINO COISAS
QUE ME ENTRISTECEM A ALMA

MEU CORPO NEM TENTA SE MOVIMENTAR DA CADEIRA

ESQUECIDA NUM CANTO DA SALA
CHORO

ESPERO POR VOCÊ
COM UM OLHAR PERDIDO

O CORAÇÃO TENTA EXPLICAR A RAZÃO
DE TANTA ANGÚSTIA


PRECISO GRITAR
MAS QUEM VAI OUVIR?

UM GRITO PRESO NA GARGANTA
UMA MULHER QUE CHORA COM A CHUVA

E QUE ESPERA
O TEMPO PASSAR

COMO A CHUVA QUE
MOLHA A ROSA

AUTORIA
CARLA FABIANE

5 comentários:

Braulio Pereira disse...

cheguei na hora certa?


beijos querida!!!

Balovega disse...

Hola... miles de gracias por pasar por casa y por la bella poesía, es un gran regalo que guardare con mucho cariño...

Besotes y preciosa entrada...Muakkss

Pelos caminhos da vida. disse...

Carla!

"Há corações que param no passado;
e para que isto não
aconteça com você deixo-lhe este
pequeno lembrete, para que o
seu coração, ao mover-se no futuro,
encontre sempre algo no
presente."

Fim de semana de luz.

beijooo.

Chris... ჱܓ disse...

Lindo poema!
Cheio de romantismo...

"Como a chuva que
molha a rosa"

Gostei!

Bjos e uma linda semana!

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Muito belo...saudoso!!!

Um beijo!

Sonia Regina.